Descrição Description

A albufeira de Vilarinho das Furnas resulta da construção de uma barragem, inaugurada em 1972, com 94m de altura e 400m de extensão de coroamento, que alimentada pelas águas do rio Homem, provoca a inundação de uma área de 346ha. Debaixo das suas águas, e apesar dos protestos dos habitantes, nos finais da ditadura, remanescem os restos da aldeia comunitária de Vilarinho da Furna, que podem ser avistados, quando a companhia eléctrica realiza descargas consideráveis de água.

Esta albufeira funciona como reservatório de água a uma cota superior à da albufeira da Caniçada, que em alguns períodos pela acção da força da gravidade, a água é conduzida por uma conduta e acciona uma central eléctrica na barragem vizinha; durante outros períodos, quando o consumo da rede eléctrica é baixo, a água é bombada, voltando ao reservatório inicial.

As águas límpidas desta albufeira servem também como tela da beleza natural e exuberante das serranias circundantes do Gerês e da Amarela, que vai registando os cambiantes da paisagem ao longo do ano. Desde o reflexo dos picos cobertos com neve no Inverno, aos luxuriantes tons amarelos, rosa e verdes, de matos e carvalhais, sobre o azul intenso do céu.

Atividades Náuticas

Na albufeira de Vilarinho da Furna são permitidas como actividades de lazer, a pesca e a natação. No caso da pesca deve ser consultado o Regulamento da Concessão de pesca da Albufeira de Vilarinho das Furnas.

Quanto à prática de natação, deve ser tida em consideração, que se trata de um reservatório de margens e fundo irregular, com presença de detritos naturais que podem ocasionar acidentes.

Informações
  • O paredão da barragem permite a passagem com precaução de automóveis ligeiros entre as aldeias de Campo do Gerês e de Brufe e na direcção de Ponte da Barca ou Lindoso.

Galeria de Imagens Photo Gallery